Monday, November 08, 2004

Novo Artigo em Breve

Tenho estado um pouco ocupado, mas estou coletando informações sobre um aspecto de relevância para todos que levam o treinamento do ciclismo à sério...

Treinando as características fisiológicas empregadas no ciclismo de estrada

As informações são bem variadas, por isso devo me atrasar na elaboração de um post bem didático...

Mas vale à pena esperar...

Abraço a todos !

Thursday, October 14, 2004

A Importância da Cadência no Ciclismo

Para quem acompanha provas de ciclismo de estrada, observa-se que os ciclistas possuem diferentes ritmos de pedalada, ou cadência. Isto é ainda mais percebido durante etapas realizadas nas montanhas.

Mas o que representa a cadência ? Na realidade, ela reflete a eficiência mecânica de um ciclista, o que pode representar um custo energético baixo, sendo essencial para provas de longa duração.

Uma maior eficiência de pedalada elimina o problema de sobrecarga para os membros inferiores, evitando a perda desnecessária de energia e auxilia na proteção das fibras musculares, tendões e estruturas ligamentares.

Por exemplo, uma cadência de 90 rpm leva 34% menos de tempo que uma cadência de 60 rpm para completar um giro de 360°. Isso corresponde ao mesmo tempo que a musculatura envolvida durante a pedalada necessita para se contrair. A consequência é óbvia : durante a fase de contração muscular, o fluxo sanguíneo e o transporte de oxigênio aumentam devido à diminuição da pressão intramuscular, o que promove um fornecimento de energia maior.
Além disso, em termos de força, uma cadência menor exige muito menos potência muscular, o que diminui significativamente a sobrecarga nos músculos, tendões e ligamentos da região do quadril.

Uma cadência maior permite que se mantenha uma determinada potência sem que se aplique uma sobrecarga de força nos pedais. Por exemplo : para se gerar uma potência de 300 Watts, é necessário que o ciclista pedalando à uma cadência de 60 rpm aplique uma força relativa de quase 60 kg nos pedais ; mas se o mesmo ciclista aumenta sua cadência para 90 rpm, este consegue gerar os mesmos 300 Watts aplicando uma força relativa de 35 kg nos pedais (Coast & Welch, Eur. J. Appl. Physiol. 53 : 339-342, 1985).

A importância do treinamento de alta cadência também é de grande utilidade para a eliminação natural de algumas ineficiências mecânicas, pois pedalando de forma mais rápida, algumas dessas são exacerbadas, o que obriga ao corpo fazer pequenos ajustes naturais para eliminá-las. Porém, esse tipo de treinamento requer tempo e suas adaptações surgem de forma lenta.

Estudos demonstram que uma cadência maior durante a pedalda é de extrema importância para ciclistas, mas é necessário que o atleta aprenda a pedalar comfortavelmente dessa forma e que encontre a relação de marchas mais adequada (no plano e nas subidas) para que possa tirar melhor proveito dessa técnica.

Monday, October 11, 2004

Ciclismo - Cadência

Acredito que o próximo assunto é de grande interesse de todos, já que se fala pouco sobre treinamento específico no ciclismo...

A Importância da Cadência no Ciclismo

Estou coletando maiores informações e em breve estarei postando.

Abraços aos leitores !

Wednesday, September 15, 2004

CORRIDA ( FUNDO ) - Plano de Treinamento para Performances de Sucesso

Ainda existem muitas discussões entre treinadores, atletas e pesquisadores sobre quais as técnicas de treinamento específicas que melhor promovem as qualidades fisiológicas necessárias para uma performance de sucesso e que constituem um plano de treinamento ideal, principalmente envolvendo o paradoxo "qualidade vs. quantidade".

Atualmente, os sistemas de treinamento utilizados pelos corredores de elite de meio-fundo e fundo para a melhora da performance merecem bastante crédito. Tais métodos involvem um “approach” a longo prazo de treinamento e competitividade, e incluem basicamente :

- Treinamento anual contínuo (3-4 horas/dia) com períodos curtos de recuperação ativa (2-4 semanas), incluíndo competições, com planejamento adequado prévio (periodização objetiva) ;

- Condicionamento aeróbio através de um volume alto (100 km/semana), incluíndo sessões prolongadas (20-30 km) de ritmo constante (“steady-state”) ;

- Organização da rotina de treinamento através de uma padronização “forte-leve”, excetuando-se o padrão “moderado”, onde se incluem fartleks, subidas, ritmos e contra-relógios em distâncias intermediárias ;

- Treinamento resistido (ou de força) durante a fase não competitiva ;

- Exercícios de alongamento e mobilidade articular sempre realizados após (não imediatamente) as sessões de treinamento ;

- Preparação dietética específica (com nutricionista do esporte) para antes, durante e depois dos treinamentos e competições


É importante ressaltar que atletas corredores de elite possuem um método de treinamento único e exclusivo para sua modalidade. Atletas amadores e triatletas devem procurar uma padronização de treinamento semelhante, porém dentro da realidade de cada um, o que pode ser perfeitamente planejado por um treinador especializado.

Monday, September 13, 2004

Boas Vindas !!

Sejam benvindos ao GIROBLOG !

Aqui você encontrará informações relevantes aos esportes de endurance.
O objetivo principal é poder desenvolver discussões sobre um determinado tema da área. Por isso, a participação através de comentários é fundamental.

Então, participe !

Até breve !